O Apelo das Drogas

Histórias sobre o mundo das drogas sempre tiveram um apelo de público enorme.

Muitas das vezes o fascínio não é gerado pelas drogas em si ou por seu uso, mas sim pelo contexto em que estão inseridas, geralmente com histórias relatadas sob 2 óticas principais:

  • O submundo do tráfico, com dinheiro fácil, sensação de onipotência e poder exacerbado que a ilegalidade traz;
  • O glamour das drogas limpas de classe média/alta, comercializadas abertamente em baladas caras, estabelecimentos de alto nível e sem o perigo iminente do tráfico na periferia.

Em ambos os casos, um dos principais fatores que deslumbram, principalmente os jovens, são os tabus envolvidos.

O contexto do mundo das drogas é visto como o caminho óbvio para jovens marginalizados e, consequentemente, o caminho a ser evitado, o caminho proibido.

Para a classe média/alta, o uso de drogas é tratado com distanciamento, como se os jovens com acesso às melhores oportunidades de vida estivessem protegidos por uma redoma e, portanto, estivessem livres do perigo das drogas, dado que elas vão de encontro aos seus objetivos supostamente óbvios de vida.

A outra opção independe de status sociais. É o caso da desestrutura familiar e do descaso parental. Lares que não provém a seus filhos o preparo emocional e psicológico necessário para construção de uma identidade sólida que os mantenha longe de riscos.

O que é comum a todos os casos é o distanciamento e/ou superficialidade com que o tema é tratado e é justamente isso que o torna tão atraente para um número cada vez maior de jovens, seja para ajudar-lhes no processo de autoconhecimento, seja para compensar o vazio existencial típico da idade ou para dar suporte ao encarar os primeiros contatos com a vida adulta.

TABUS GERAM FASCÍNIO. E a melhor forma para quebrar o encanto e destruir o tabu é falando sobre eles.

Por isso sugerimos 4 obras que abordam o tema sob perspectivas distintas e de forma responsável, apesar de extremamente impactante.

 

História de Christiane F.

Uma entrevista inocente sobre sua própria história de vida depois de ser ré em um julgamento envolvendo tráfico de drogas num tribunal de infância e juventude virou um livro com mais de 5 milhões de cópias vendidas, ganhou uma adaptação para o cinema e uma segunda biografia.

Vamos à história de Christiane F.

Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada, Prostituída

O título já diz tudo. O livro trata de uma das histórias mais icônicas – e difíceis de se digerir – do submundo do vício.

Christiane Vera Felscherinow era uma pré-adolescente alemã, nascida em Hamburgo, cidade então situada na Alemanha capitalista, que aos 6 anos de idade passou a viver nos subúrbios da gigantesca – e caótica – Berlim.

A pobreza e desestrutura familiar criam o cenário perfeito para a dura realidade que aguardava a jovem.

O livro foi escrito por dois jornalistas, Kai Herrmann e Horst Rieck, a partir dos relatos da própria Christiane, foi lançado quando ela tinha apenas 16 anos e ganhou uma adaptação para o cinema.

Pôster de Divulgação do Filme Christiane F.
Pôster de Divulgação do Filme Christiane F.

O estardalhaço causado pela história obrigou tanto autoridades quanto civis a abrir os olhos para uma realidade que podia ser facilmente avistada no centro de Berlim e de outras grandes cidades europeias. E assustou.

Assustou porque a franqueza do relato causa identificação imediata a qualquer leitor – mesmo os que não se enquadrem nas circunstâncias vividas por Christiane – e faz com que todos sintam a responsabilidade que todos temos sobre o futuro de jovens ao redor do mundo.

 

Eu, Christiane F., A Vida Apesar De Tudo

O sucesso com a venda das mais de 5 milhões de cópias de sua história não trouxe redenção à vida da junkie star.

Pelo contrário, com a fama de sua história, veio também o contato com artistas que eram ídolos de Christiane e, obviamente, ainda mais facilidade para o consumo de álcool, drogas e um estilo de vida nada saudável.

Para relatar os anos também conturbados depois dos lançamentos do livro e do filme de sua vida, Christiane escreve um novo relato mostrando a realidade nada invejável que vive atualmente: solidão, doenças, frustrações, imersão em remédios e novos vícios.

Com o novo livro, a alemã quebra o encanto que as histórias envolvendo o submundo das drogas traz à mente humana e mostra a realidade nada deslumbrante do vício.

Christiane se posiciona como símbolo de uma luta mundial contra as drogas, mas também nos lembra que por trás de cada viciado que vive às margens da sociedade, há também um ser humano como todos os outros, que precisa de amor, carinho e atenção para alcançar uma vida plena e harmônica.

Pontuação IMDB: 7,6/10

A Série Trainspotting

Todo mundo já ouviu falar do filme icônico dos anos 90, estrelado por um grupo de amigos viciados em heroína na gélida Escócia.

E provavelmente está do lado dos que consideram o filme um divisor de águas ou no time dos que acreditam que é serpentina demais só para mais uma história de jovens rebeldes e drogas.

E pode até ser.

Como todo clássico, a diferença entre filme e livro – livros, no caso – é gritante e grande parte da história acabou não saindo do papel.

Peça de divulgação do filme Trainspotting
Peça de divulgação do filme Trainspotting

Por exemplo, o retrato que vem dentro do primeiro livro escancarando a realidade dos subúrbios de Edimburgo e a intensa crítica social referente à maneira burguesa de viver a vida nem todo mundo conhece tão bem.

Principalmente porque a parte mais intensa da análise social que Irvine Welsh faz está em Skagboys, o livro 1 da trilogia, que mostra o cenário de vida dos personagens e como – e por que –  eles se transformaram no que vemos no filme.

A história conta com 3 livros:

  • Skagboys
  • Trainspotting
  • Porno

Skagboys é o maior livro da série e também o mais revelador, Trainspotting e Porno funcionam mais como o desfecho da história do que como livros destaque, apesar de terem mais glamour para o público por terem suas adaptações para o cinema.

                                                           

Como um todo, a sequência de Trainspotting e seus filmes trazem nua e crua uma realidade que evitamos enxergar diariamente, mas precisamos. Leitura importantíssima e indicadíssima.

 

Dica Amiga: Quem estiver receoso, indico a leitura de Skagboys, para mim é o melhor e mais intenso livro da série. Caso se interesse, termine a trilogia.

 

Trainspotting – Pontuação IMDB: 8,2/10

T2 Trainspotting – Pontuação IMDB: 7,2/10

 

Heroin(e)

Heroin(e) é um documentário indicado ao Oscar que traz o dia a dia de 3 mulheres de Huntington, conhecida como a capital da overdose nos Estados Unidos, que dedicam sua vida pessoal e profissional a ajudar viciados em drogas a encontrar a saída para uma vida melhor e sóbria.

O curta é organizado de forma a mostrar perspectivas diferentes ao trazer as visões de uma bombeira, que deve manter a esperança nos doentes para conseguir repetidamente encontrá-los – e salvá-los – de situações de risco e overdose; de uma juíza, que, por outro lado, deve julgar imparcialmente os erros e acertos de viciados em liberdade condicional; e de uma voluntária religiosa que age com amor para dar alento e opções para uma nova vida aos que precisam.

Peça de divulgação do documentário Heroin(e)
Peça de divulgação do documentário Heroin(e)

As histórias contadas mostram a dinâmica de alguns programas para recuperação de viciados, como o WEAR (Women’s Empowerment and Addiction Recovery) e trazem histórias reais. Seus personagens foram acompanhados e filmados por um ano.

Os relatos são feitos de forma extremamente humana e é impossível não se envolver com uma realidade tão sofrida e difícil.

 

Drugs Inc.

Na mesma linha de Heroin(e), há também Drugs Inc., uma série de minidocumentários produzida pelo National Geographic Channel que conta com 72 episódios divididos em 8 temporadas e traz o dia a dia de viciados em drogas.

A diferença é que cada episódio trata de uma droga específica e as consequências de seu uso na vida e na saúda dos viciados, mostrando a realidade única de seus usuários, os motivos que os levaram ao mundo do vício, as dificuldades que enfrentam, os possíveis tratamentos e saídas procuradas pelas famílias dos usuários.

É interessante para os que visam entender no detalhe a vivência de usuários de drogas e os efeitos específicos do uso de cada substância.

Pontuação IMDB: 7,9/10

 

Quem tiver mais sugestões de livros e filmes que abordam o mundo das drogas e correlatos, é só deixar sua sugestão nos comentários!

 

O UpToWhat é um participante do Programa Associados da Amazon, comprando os livros divulgados nesse post através do nosso link, parte da renda da compra é destinada ao UpToWhat sem você pagar nada a mais por isso.

Fontes

As imagens dessa série possuem links para suas respectivas fontes.

Entre as fontes usadas para a elaboração do texto estão:

Herald-Dispatch

Revista Crescer

HealthLine

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *