Eleições 2018 – Checadores de Fatos

Essas eleições estão marcadas por dois fortes fatores: as Fake News e os Checadores de Fatos.

Fake News todo mundo já sabe o que é. E um Checador de Fatos? Já ouviu falar?

Selo da IFCN
Selo da IFCN – Garantia de um trabalho que segue o Código de Princípios da instituição

 

Checadores de Fatos são aqueles sites que verificam a veracidade das afirmações dos candidatos e partidos em debates, campanhas eleitorais, plano de governo, sabatinas, e afins.

A recente inundação de Fake News tem nos deixado a mercê da manipulação de informação e a corrida eleitoral é historicamente o momento que nos sentimos mais ludibriados e confusos sobre as afirmações e apropriações que ouvimos o dia todo nas propagandas políticas, por isso, é também o momento propício para os Checadores de Fatos virem à tona.

Mas como sabemos se esses checadores são realmente mais próximos da verdade do que os partidos políticos?

 

Os Checadores de Fatos e O Código de Princípios

Uma das formas é o Código de Princípios da IFCN (International Fact-Checking Network).

A IFCN, Comunidade Internacional de Checagem de Fatos, surgiu para promover a excelência, transparência e imparcialidade para os Checadores de Fatos e para o jornalismo em geral. É uma associação criada pelo Instituto Poynter, famosa instituição jornalística norte-americana, com o objetivo de reunir os Checadores de Fatos ao redor do mundo e fazê-los atuar sob uma conduta ética através de um Código de Princípios.

Entre outras questões, o Código de Princípio inclui:

  • transparência em relação às fontes pesquisadas;
  • transparência em relação à origem do financiamento;
  • transparência em relação ao método de análise.

Isso garante padronização e fidedignidade às informações oferecidas pelos checadores.

Um Checador de Fatos não precisa ser necessariamente afiliado à IFCN para atuar com ideoneidade, basta conferir se ele segue as principais diretrizes do código, que estão indicados nesse vídeo divulgado pelo IFCN:

 

 

Checadores de Fatos

Valongo

O Valongo foi criado em 2016 para checar as eleições municipais de Cascavel-PR.

Com a eleição de Leonaldo Paranhos naquele pleito, foi criado o Paranhômetro, que passou a analisar o cumprimeto das promessas eleitorais.
A equipe do Valongo vai semanalmente às rádios acompanhar o mandato de Paranhos através das informações apuradas pelo Paranhômetro.

Baseado nisso, o Valongo mantém duas diferentes escalas de validação, uma para os Fatos Checados e uma para as Promessas feitas durante a campanha e/ou o mandato:

 Printscreen das diferentes etiquetas do checador de fatos Valongo

Em 2018, o Valongo expandiu a checagem de fatos para as Eleições do Governo do Paraná e, para isso montou uma equipe, treinando novos checadores para o grupo.

Assim como a Operação Serenata de Amor relatada no primeiro post da Série Eleições 2018, o Valongo também é mantido com recursos próprios e doações, para apoiar a iniciativa: https://apoia.se/valongo

Printscreen de uma Checagem de Fatos do Valongo
Um Checador de Fatos que atua segundo o Código de Princípios da IFCN sempre indica a fonte usada para validação e o método usado para definir a veracidade da afirmação

 

Agência Lupa

Outro Checador de Fatos é a Agência Lupa, um dos pioneiros na checagem de fatos de maneira sistemática e contínua do Brasil.

A Agência Lupa iniciou um projeto educativo, lançando uma Oficina de Checagem de Fatos em setembro. Com foco nas Eleições 2018, o objetivo da oficina é formar novos checadores baseados na metodologia de trabalho da Agência e com apoio da Jeduca (Associação de Jornalistas de Educação).

 Peça de divulgação da Oficina de Checagem de Fatos da Agência Lupa em parceria com a Jeduca

 

Mas a imagem da agência como Checador de Fatos está bastante abalada. Há uma série de questionamentos não respondidos pela Agência Lupa que dão a entender que a agência não segue alguns dos valores do Código de Princípios da IFCN, pondo em dúvida a conduta ética da checagem dos fatos.

Em consequência, a Agência Lupa despertou a inimizade de portais relevantes no país e correu o risco de ter sua página no Facebook suspensa pela rede social.

Para entender melhor esses questionamentos, leia a matéria da Revista Forum e do Jornal GGN.

Printscreen de Checagem de Fatos da Agência Lupa em seu site
Exemplo de matéria de checagem de fatos da Agência Lupa

 

 

Aos Fatos

Assim como a Operação Serenata de Amor, o Checador Aos Fatos também usa um robô para auxiliar a manipulação dos dados, a robô Fátima, nome derivado de FactMa, de Fact Machine.

A Fátima, a inteligência artificial para checagem de fatos do Aos Fatos em sua versão chatbot.
A Fátima, a inteligência artificial para checagem de fatos do Aos Fatos em sua versão chatbot.

 

 

O projeto tem como objetivo tornar a checagem de fatos acessível ao grande público, oferecendo a checagem de maneira autônoma e sem intermediários, o que pode conferir uma sensação maior de segurança no processo.

A Fátima é programada com base em PLN, Processamento de Linguagem Natural, uma sub-área da programação que permite que o programa entenda gramatical e contextualmente a linguagem natural humana, possibilitando uma interação homem-máquina muito mais natural do que estamos acostumados.

Aos Fatos assinou o Código de Princípios da IFCN em 2016, comprometendo-se a agir de acordo com a conduta da instituição.

A organização também mantém o Aos Fatos Lab, um braço que oferece serviços remunerados de checagem de fatos, uma espécie de freela da checagem de fatos, e projetos como o Especial Cidade dos Sonhos, através do qual checa o cumprimento ou não das promessas de campanha.

E ainda mantém uma seção Manuais, onde reúnem dicas de como avaliar notícias e validar informações na internet. Uma das partes mais legais do site.

 Printscreen da seção Manuais do Checador de Fatos Aos Fatos

 

Além da assinatura do Código de Princípios da IFCN, outra forma de avaliar a boa conduta na checagem dos fatos é a relevância e imagem da instituição.

Por exemplo, as organizações Globo lançaram em Agosto o projeto Fato ou Fake, cujo objetivo, segundo a instituição, é disseminar entre a sociedade um dos princípios primários do jornalismo: a verificação da notícia.

O projeto conta com a participação de diversas empresas e parceiros do grupo para o monitoramento e checagem das notícias, entre elas, notícias de cunho político. Assim como outras iniciativas, o Fato ou Fake também conta com um chatbot nas redes sociais para ajudar a população na busca pela veracidade das manchetes e mensagens que circulam na internet.

Só o fato de ser um projeto de uma empresa – uma das maiores do país – já levanta desconfiança por muitos se a verificação terá a imparcialidade necessária, o que é contrabalanceado justamente pela magnitude da empresa: o grupo é o mais respeitado e buscado pela sociedade na esfera jornalística e isso garante um nível de qualidade e idoneidade a seus produtos.

 

De toda forma, sendo empresas com óbvios fins lucrativos, tendo o trabalho investigativo patrocinado, assinando ou não o Código de Princípios da IFCN, a lição que fica com o surgimento e consolidação dos checadores de fatos é resumida em um único conceito:

na era dos dados, quando a informação vira um produto altamente rentável e extremamente acessível, o acesso à informação é apenas uma das premissas, que deve sempre estar aliada à análise crítica para tornar a informação algo útil e valioso para o nosso dia a dia.

Lidar com tal nível de interação e convivência social que o século XXI nos proporcionou (e cuja análise e consequências podem ser debatidas em Identidades Pátrias no Século XXI) requer uma visão rebuscada e jornalística para todo tipo de cidadão atrelada a uma postura proativa para evitarmos sermos engolidos pelo furacão que nós próprios criamos.

 Charge ironizando a introdução da tecnologia na educação. Em uma lousa está o alfabeto até a letra G, a letra H está completada com um endereço eletrônico 'Http://...'

 

Na hora de consumir qualquer tipo de informação, seja nas Eleições 2018, na pesquisa pelo novo smartphone, na escolha dos próximos ebooks ou no link recebido no grupo da família, a reação é uma só:

Uma pesquisa criteriosa, personalizada e imparcial é a única forma de garantir que você não vai sair no prejuízo financeiro ou no arrependimento pelas bandeiras que defende (na internet e na vida).

Fontes

As imagens dessa série possuem links para suas respectivas fontes.

Entre as fontes usadas para a elaboração do texto estão:

IFCN

Bots Brasil via Medium

G1 – GloboNews

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 pensamentos em “Eleições 2018 – Checadores de Fatos”